DIA DE TODOS OS SANTOS

Ubiratan Lustosa

Dia de Todos os Santos - dia de se reverenciar aqueles que pelas suas virtudes alcançaram à glória da santidade.
Esse é um dia propício para a meditação, para um momento de recolhimento, para um retorno às coisas espirituais.

O que será santidade?
Quem poderá atingi-la? De que forma poderá alguém se tornar santo?
Santidade é a vida cristã completa e perfeita.
Certamente ninguém nasce santo; a sua maneira de viver o santifica.
Para alguém alcançar uma vida cristã completa, perfeita, há um imenso trabalho a ser desenvolvido. Muita doação, renúncia permanente, conformidade total com a vontade de Deus.
Por certo qualquer um de nós pode ser santo, mas poucos conseguem.

Todo aperfeiçoamento exige trabalho constante.
Em tudo é assim.
Um músico, para se tornar um virtuose, emprega muitas horas diárias, anos a fio, com exercícios no instrumento a que se dedica. Ele busca, aos poucos, uma técnica aprimorada, um desenvolvimento contínuo de sua arte para o total aproveitamento do seu talento.
Um atleta, para se tornar um campeão, realiza treinamentos diários e renuncia a muitos prazeres, dedicando-se inteiramente àquela modalidade esportiva que escolheu.
Um cientista, para alcançar um estágio de conhecimento que o torne capaz de novas descobertas, afunda-se nos livros, fechado em laboratórios perde horas incontáveis em pesquisas, entregando-se totalmente aos estudos e aprofundando-se naquele ramo da ciência que preferiu.
Todo aquele que deseja atingir um elevado estágio de aperfeiçoamento precisa de muito esforço e trabalho.
Assim, para se atingir a santidade há necessidade de esforço, dedicação, renúncia, como se fora um músico, um atleta, um cientista. Há um pensamento de Monsenhor Escrivá que ensina o caminho:
"A santidade grande está em cumprir os deveres pequenos de cada instante".
Tomando esse ensinamento como norma de vida, e com muita oração, a santidade fica ao alcance de todos.
A união permanente da criatura com o Criador é que conduz à plenitude da vida cristã, e a plenitude da vida cristã é a santidade.

Qualquer um de nós pode tentar melhorar começando por aí, cumprindo todos os nossos deveres de cristãos. O mundo precisa de pessoas santas, não apenas aquelas que alcançam a glória dos altares através da canonização, pois sempre houve e haverá uma infinidade de santos que nem sequer conhecemos, mas que são exemplos nos círculos em que atuam, que servem a Deus com total dedicação, que amam ao próximo e que - por palavras ou atos - atingem essa santidade acessível a todos, mas que nem todos buscam.
Sempre houve e haverá muitos santos, humildes, escondidos, santificados na sombra e no silêncio. No Dia de Todos os Santos pensemos neles, dispondo-nos, ainda que longinquamente, a seguir o seu exemplo.

(Do site www.ulustosa.com)